O “circo” Fórmula 1 volta à estrada!

E que regresso.

O fim de semana começava da pior forma possível, com a notícia do falecimento do ex-director de corridas da Fórmula 1, Charlie Whiting. Mas que certamente, iria ficar bem satisfeito com a competitividade presente durante a prova e com a falta de incidentes.
Charlie Whiting era uma peça fulcral dentro do “circo”. Responsável por variadas alterações em prol da segurança há largos anos, e com diferentes cargos durante a sua vida ligado à Fórmula 1, era visto como uma figura quase que paternal para todos os pilotos, e não só. Aquela figura que tanto é capaz de nos fazer rir e alinhar nas brincadeiras, como também de nos chamar à razão e fazer voltar à seriedade.
Será um espaço impossível de voltar a preencher.

 

E prova dessa importância foi Valtteri Bottas dedicar a vitória a Charlie Whiting.

Depois de dominar e vencer a corrida em Melbourne, na Austrália. Com um bem modesto intervalo de 20 segundos a separá-lo do 2º classificado, Lewis Hamilton. O andamento e ritmo que Valtteri mostrou durante toda a prova foi além de dominante, impressionante!
No 3º lugar do pódio, Max Verstappen. Mostrou que finalmente os motores Honda parecem estar mais do que aptos para ser competitivos.

Mas o interesse não se fica pelos nomes “habituais” da frente.

A nova regra que dita a atribuição de 1 ponto ao piloto com a volta mais rápida durante a corrida, transformou as últimas voltas numa pequena prova de sprint. Onde engenheiros e directores de equipa bem que tentavam pôr água na fervura para garantir que os limites não eram forçados em demasia,  arriscando deitar toda a corrida a perder.
No chamado “resto das equipas”, a Haas e a Renault que entre azares com Grosjean e Ricciardo, continuam bem mano a mano. Vai ser um duelo para acompanhar durante a temporada.

Finalmente, há que manter os “miúdos” debaixo de olho.

Leclerc durante a parte final da corrida, teve que baixar o ritmo para, vá, não deixar Vettel mal visto. E na McLaren, Lando Norris, esperemos que finalmente o carro consiga ter alguma ponta de competitividade digna do nome de Bruce McLaren, porque o “miúdo” precisa e merece.

 

2019 Formula One Australian Grand Prix – Race
1 Valtteri Bottas – Mercedes –
2 Lewis Hamilton – Mercedes – 20.886
3 Max Verstappen – Red Bull – 22.520
4 Sebastian Vettel – Ferrari – 57.109
5 Charles Leclerc – Ferrari – 58.230
6 Kevin Magnussen – Haas – 1’27.156
7 Nico Hulkenberg – Renault – 1 volta
8 Kimi Raikkonen – Alfa Romeo – 1 volta
9 Lance Stroll – Racing Point Mercedes – 1 volta
10 Daniil Kvyat – Toro Rosso -1 volta
11 Pierre Gasly – Red Bull – 1 volta
12 Lando Norris – McLaren -1 volta
13 Sergio Perez – Racing Point – 1 volta
14 Alex Albon – Toro Rosso – 1 volta
15 Antonio Giovinazzi – Alfa Romeo – 1 volta
16 George Russell – Williams – 2 voltas
17 Robert Kubica – Williams – 3 voltas
Romain Grosjean – Haas
Daniel Ricciardo – Renault
Carlos Sainz – McLaren

 

Fotos: © 2019 FIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *